Make your own free website on Tripod.com

logdejavu.jpg

Capítulo XXIII
Home
A Autora
Trailer
Personagens
Capítulo I
Capítulo II
Capítulo III
Capítulo IV
Capítulo V
Capítulo VI
Capítulo VII
Capítulo VIII
Capítulo IX
Capítulo X
Capítulo XI
Capítulo XII
Capítulo XIII
Capítulo XIV
Capítulo XV
Capítulo XVI
Capítulo XVII
Capítulo XVIII
Capítulo XIX
Capítulo XX
Capítulo XXI
Capítulo XXII
Capítulo XXIII
Capítulo XXIV
Capítulo XXV
Capítulo XXVI
Capítulo XXVII
Capítulo XXVIII
Capítulo XXIX
Capítulo XXX
Capítulo XXXI
Capítulo XXXII

Capítulo XVII

 Confissões 



Lis do céu... o que há com você?! O que poderia ser tão grave, tão ruim assim? Nesses tantos anos que conheço a Lis, nunca a vi chorar sem motivos. Só a vi chorar quando sua mãe morreu, há uns 5 anos atrás. Mas antes e depois disso, nunca. A morte de sua mãe... bem, ela morreu de câncer, e ainda era muito nova. A mãe de Lis era para a Lis como minha avó tinha sido para mim: uma grande amiga e companheira. Mesmo doente e sob efeitos da quimioterapia, ela não desanimava, estava sempre cuidando das filhas. Antes de ficar realmente doente, ela sempre nos acompanhava nos shows, topava qualquer parada, tinha espírito jovem. Era a mãe que sempre quis ter. E a Lis herdou dela uma qualidade que eu invejo: é forte, é feita de pedra e está sempre de bem com a vida!”
 

Lis: Mayra. Antes de mais nada, eu queria dizer que você é a pessoa mais importante da minha vida. Você sempre me ajudou quando eu mais precisei, sempre foi uma amiga de ouro. Eu espero que você não fique chateada com o que eu vou te contar.

Mayra: Fala logo, Lis. Prometo que não vou ficar brava.
 



Lis: Pois bem. Não sei se você já pensou nisso, mas eu sempre te vi de uma maneira diferente. Eu sempre te considerei mais do que minha amiga...
 

Mayra: Mais do que amiga? Você quer dizer como uma irmã, uma mãe, e tal?




Lis: Mais do que isso.




Mayra: Você quer dizer que...


Lis: Sim, Má. É isso mesmo que você está pensando. Eu nunca falei isso pra ninguém, nem pra você, em todos esses anos de amizade. Eu sempre te amei secretamente, sempre fui... apaixonada por você! Eu sempre te vi como, como... minha namorada! A Fiona e a Isa me enchiam o saco com isso, pois já deveriam suspeitar de mim, mas eu nunca tomava nenhuma atitude. Mas elas não sabem que eu te amo e sempre vou te amar, você... você é a única pra mim, Mayra. Agora que o Leandro apareceu, eu percebo o quanto eu fui burra de ter escondido este sentimento tão profundo. Não que você fosse casar comigo, mas eu... eu... eu daria qualquer coisa para que você fosse minha por um segundo só.
 



Mayra: Lis...


 Lis: Por favor, Mayra, deixa eu falar! Ontem, quando eu e a Fiona acabamos a prova, fomos para a lanchonete do colégio. Quando me levantei para ir jogar fora meu lixo, eu vi você correndo feito louca. Quase morri de preocupação e por um minuto pensei que você havia descoberto tudo isso, já que eu havia decidido me declarar pra você naquele dia... colocando um bilhete em seu armário!
 

 

 

Mayra: Bilhete? Mas eu não vi nada.
 

 

 

Lis: Pois é, só depois que viemos aqui na sua casa e fizemos aquela festinha toda que eu percebi que você não sabia de nada. E quando você me contou do Leandro, eu fiquei realmente feliz por você, sabe? Finalmente você tem alguém que você ama e te ama também...
 

 

 

Mayra: Ai, Lis....
 

 



Lis: Mayra, não se sinta culpada. Eu estou feliz demais por você ter encontrado o amor da sua vida. Eu já encontrei o meu, que é você, e fico feliz só de estar ao seu lado, olhar pra você e ver que você é a mulher mais linda do mundo. Acho que é um lance meio platônico, sabe? Eu sei que nunca vou te ter em meus braços, mas me contento com sua amizade, seu abraço, suas palavras. Minha felicidade é te ver sorrir com alguém que você realmente ame. Não preciso de mais nada! Se você ficar brava comigo e me achar nojenta, eu entendo e sumo da sua vida.

 



Mayra: Lis... eu nem sei o que dizer. Eu... estou... atordoada. Sem palavras. Eu jamais imaginaria isso.
 

 



Lis: Não precisa dizer nada. Eu só precisava desabafar isso tudo. Estou me sentindo bem melhor! A única coisa que quero é que você seja a pessoa mais feliz do mundo ao lado do Leandro. Parece que vocês brigaram, mas sei que vocês vão se acertar, vocês parecem feitos um para o outro. Você merece ser feliz com ele. Eu te amo...
 

 


 

Mayra: Lis, você nem imagina... o Leandro encontrou outra! O canalha me ligou aqui e...

 


 

“E então...”

 

 

“Ela me beijou..."


 

"Um beijo diferente... um beijo roubado... um beijo de amor!?”
 

 

 

Lis: Pelo amor, Mayra, me perdoa, eu não resisti! Eu queria, mas sei que você não queria, então me desculpa... sou uma idiota, não consigo me controlar!
 

 

 

Mayra: Lis!
 

 

 

Lis: Desculpa por tudo, Mayra!

 

 

“E então ela saiu correndo da minha casa. E eu fiquei sem entender nada”

 

 

Não perca o próximo capítulo de Déjà Vu! \o/

*Todos os direitos reservados à Roberta Ayres Torres (Silly Girl) e Igor Akio Matsuoka - 2005/2006/2007/2008*