Make your own free website on Tripod.com

logdejavu.jpg

Capítulo XVI
Home
A Autora
Trailer
Personagens
Capítulo I
Capítulo II
Capítulo III
Capítulo IV
Capítulo V
Capítulo VI
Capítulo VII
Capítulo VIII
Capítulo IX
Capítulo X
Capítulo XI
Capítulo XII
Capítulo XIII
Capítulo XIV
Capítulo XV
Capítulo XVI
Capítulo XVII
Capítulo XVIII
Capítulo XIX
Capítulo XX
Capítulo XXI
Capítulo XXII
Capítulo XXIII
Capítulo XXIV
Capítulo XXV
Capítulo XXVI
Capítulo XXVII
Capítulo XXVIII
Capítulo XXIX
Capítulo XXX
Capítulo XXXI
Capítulo XXXII

Capítulo XVI - Déjà Vus

 DÉJÀ VUS

"Mas eu precisava responder, não é? E então respondi... a verdade nua e crua... botei pra fora aquilo que realmente sentia, aquilo que julgava ser certo ou, pelo menos, menos doloroso."


Mayra:
Não...

 

 

"Ele ficou com o olhar vago, uma face triste, parecendo que temia que eu estivesse falando sério. Senti um aperto no coração, já que eu senti a dor da rejeição na pele por 17 longos anos. Já era PHD nisso. Mas, logo em seguida, com toda coragem que jamais tive, completei, aliviando-o:"

 

Mayra: ... Quero ser seu amor, sua vida, seu tudo, Leandro!

 

 

"Ele abriu um sorriso maravilhoso, como eu jamais havia visto. Ele se levantou e me pegou pelas mãos. Parou diante de mim, tirou alguma coisa do bolso e, com sua doce voz, perguntou-me:"


 

Leandro: Mayra, minha fanta-uva, eu te amo. Achei que você nunca fosse ser inteiramente minha algum dia! Você é um sonho que se realiza, é tudo que sempre quis para viver feliz eternamente. Te amo desde que te vi pela primeira vez, e, desde então, não penso em mais nada a não ser em seus olhos lindos, seu cabelo macio e sua face bela. Desde a primeira vez que ouvi sua voz, ela continuou a ecoar em minha mente. Pois agora estou aqui, colocando em seu dedo uma aliança, símbolo de nosso amor, prometendo amor eterno por ti! Aceitas?


 

"Mal pude acreditar. Eu estava espantada, mas eu não precisava pensar para responder:"


 

Mayra: Sim!!!



 

Leandro: Então, deste momento em diante, estamos unidos para sempre! De corpo e alma. Que assim seja, que assim se faça!



 

"Este foi o melhor dia de nossas vidas. O dia em que nos conhecemos, o dia em que me apaixonei por ele, o dia em que começamos a namorar, o dia em que minha vida mudou completamente. Jamais imaginei que isso tudo iria acontecer comigo, e isso tudo em um só dia! E eu, sempre cética, nunca acreditei em amor à primeira vista, hoje fui vítima dele... vivendo e aprendendo. Realmente, a minha avó e a Lis estavam certas o tempo inteiro: o amor pode estar em qualquer lugar - onde você menos esperar, quando mais precisar. E digo mais: basta um único olhar para ficarmos loucamente apaixonados por uma pessoa pelo resto da vida. Ambos somos provas vivas disso!"

 




"Daí em diante, dei a ele tudo o que havia guardado durante meus 17 anos de solidão e tristeza"

 

 

 

"Entre as mil coisas que conversamos naquela tarde, comentei com ele sobre a festa de casais que a Jéssica e a Talita estavam organizando, e ele me respondeu:"


 

Leandro: Festa? Talita?! BAH! Nenhum dos dois me agradou!

 

 

 

Mayra: Nem a mim!

 

Leandro: Aquela garota é um caso perdido. Azar o dela ser tão fútil... me fez sofrer demais naquela escola, mesmo eu sendo primo da melhor amiga dela.
 

 

 

Mayra: Ãhn? Sua prima é a....

 

Leandro: Ninguém acredita, mas a Jéssica é minha prima, sim. A gente nem se fala, nem se cumprimenta. Antes éramos inseparáveis, mas quando ela entrou para o ginásio e tornou-se amiga da Talita, virou outra pessoa. Nem a reconheço mais.

 

 

 

Mayra: Nossa, eu nem desconfiava do parentesco de vocês!

 

Leandro: Mas sabe o que é? A Talita se sente mal por ser quem é. Por isso zoa todo mundo, para mostrar que, supostamente, é superior a todos. Isso faz dela uma grande idiota! E a Jéssica sempre foi muito sozinha no colégio... a Talita foi a primeira a acolhê-la. E, por ser bonitinha, e tudo mais, logo virou amiguinha da Talita e se popularizou no colégio. Passou a jogar voley com a Talita e as outras meninas metidas, e tudo mais, sendo que ela nunca curtiu essas coisas. E como a Jéssica nunca havia tido uma amiga, nunca mais se desgrudou da Talita.

 

 

 

Mayra: Nossa! Mas, poxa, agora eu estou com pena da Jéssica. Se eu fosse mais bonitinha, talvez tivesse sido eu a "acolhida" da Talita. Já pensou?!

 

 

 

Leandro: Concordo, você não é bonitinha, é linda. E eu duvido muito que você fosse cair nas garras daquela megera. Você tem muita personalidade para fazer o mesmo que a Jéssica fez consigo mesma.

 

 

 

Mayra: Poxa, Leandro. Falando com você assim dá até um déjà vu. Parece que a gente já se conhece há 50000 anos!

 

 

 

Leandro: Pois eu me sinto da mesma maneira, minha Fanta uva. Nunca fiquei tão à vontade assim com uma garota... nem com os meus poucos amigos. Acho que a gente já se conhece muito antes de nós nascermos...

 

 

 

Mayra: Concordo! Bom, pelo menos nisso eu acredito. Vidas passadas, e tal. Pra mim, déjà vus não são coisas à toa.

 

 

 

Leandro: Pô, Mayra... falando desse jeito eu até me assusto. Nunca vi alguém concordar com as minhas teorias malucas! É meu par perfeito mesmo!

 

 

 

"Só pude dar risada! O Leandro é perfeito demais para ser verdade! Mas é!!!"

 

 

 

 Mayra: Aiiii! Sabe de uma coisa?! A Talita morreria de inveja se nos vísse juntos!

 

 

 

Leandro: E sabe de outra coisa? Você me deu uma grande idéia, Mayra.

 

 

 


Não perca o próximo capítulo de Déjà Vu! \o/

*Todos os direitos reservados à Roberta Ayres Torres (Silly Girl) e Igor Akio Matsuoka - 2005/2006/2007/2008*