Make your own free website on Tripod.com

logdejavu.jpg

Capítulo III

Home
A Autora
Trailer
Personagens
Capítulo I
Capítulo II
Capítulo III
Capítulo IV
Capítulo V
Capítulo VI
Capítulo VII
Capítulo VIII
Capítulo IX
Capítulo X
Capítulo XI
Capítulo XII
Capítulo XIII
Capítulo XIV
Capítulo XV
Capítulo XVI
Capítulo XVII
Capítulo XVIII
Capítulo XIX
Capítulo XX
Capítulo XXI
Capítulo XXII
Capítulo XXIII
Capítulo XXIV
Capítulo XXV
Capítulo XXVI
Capítulo XXVII
Capítulo XXVIII
Capítulo XXIX
Capítulo XXX
Capítulo XXXI
Capítulo XXXII

 

 UMA MANHÃ

 

 

 

 

Mayra: “Eu estudava no terceiro ensino médio, turma A, em um colégio que eu conhecia muito bem, pois, praticamente, cresci e me desenvolvi nele. Não fiz muitas amizades nestes longos anos em que estive lá. Sempre fui uma garota bastante solitária e cheia dos problemas, aquela que é excluída da rodinha, a última a ser escolhida para o time na aula de Educação Física, a esquisitona sentada sozinha no intervalo, aquela que sempre sobra na hora de formar grupos de tarefas. Essa sou eu... segundo os outros, é claro. Sim, pois me acho muito mais do que isso... sou muito mais do que simples aparência, carne e ossos! Eu tenho uma essência, que não é igual a de ninguém, sou única! Mas isso poucos conhecem...

 

O tempo se passou muito rápido, e quando eu não estava mais prestando atenção, já era meu último dia de aula. Como de costume, todos os anos eu ficava para recuperação intensiva. Portanto, fiquei até o mês de Dezembro fazendo provas e trabalhos, coisas que não levei a sério o ano inteiro. Quando você não tem ânimo algum pela vida que tem, estudar se torna muito mais complicado. Mas eu possuía uma única motivação no meio de tantas mágoas: se eu terminasse o ensino médio, no ano seguinte eu poderia mudar de ambiente e torcer para que na Universidade eu conheça alguém que me tire desta situação tão depressiva pela qual continuo passando por todos esses anos infinitos de solidão.”

 

 

 

          Mayra: "Dirigia-me para a escola como sempre. Um caderno na mão e algumas canetas no bolso. Ah, e o meu trabalho de recuperação da disciplina de Química estava no meio do caderno. Durante meu percurso, ouvi alguém me chamar..."

 

 

 

Super Lis: Hey, Ho! Mayra! Perae!

 

Mayra: "Era a Lis, uma de minhas amigas. Ela também estava de recuperação junto comigo.

Primeiro pensamento positivo do dia: pelo menos alguém para me fazer companhia na hora de colar eu tenho, né!?"

 

 


Super Lis: Mayra, meu... tu estudou para a prova?

 

Mayra: É, naquelas... tentei... e você?

 

Super Lis: Ah... eu estudei, estudei e estudei, e não entendo essas merdas! Meu negócio não é estudar, é tocar guitarra, pô!!! Vida injusta!

 

Mayra: Hahaha, calma... é o nosso último ano, finalmente!

 

 

 

Super Lis: É, não vejo a hora de acabar e ficar de boa tocando guitarra o dia inteiro! Mas e aí, , o que irá fazer em suas férias?
 

Mayra: Ainda não sei... se eu passar de ano no colégio, com certeza ficarei “mofando” em casa, como de costume...
 

Lis: Ahhhh, que isso, mina! Se anima! Vamos ensaiar! Temos que gravar um CD nosso!

 

Mayra: Ahnnnnn... sei lá...

 

 


 

"Senti alguém me cutucar.... quem poderia ser?

 

 

 

 

.....

 

 

 

ISA!"

 

 


Isa Riot: FAAAAALA, PREGUIÇOSA! Como foi a sua soneca? Foi gostosa? Hein??? Roncou bastante, sua porca chauvinista?
 




Mayra: Oi, Isa, como você está, "minha amiguinha querida"?

 




Isa: Bah! Me enchi de cafeína, saí de casa sem tomar banho e tô aqui... nos três F!!!

Lis: Ãhn? 3 F? Lá vem você e seus palavrões...

Isa:
Que palavrão o quê, retardada mental! Tô Firme, Forte e Feliz!


 

Mayra e Lis: ............





Isa: Sabe, ao contrário de vocês, preguiçosas sem atitude, eu e a Fiona ficamos a madrugada inteira montando a edição de hoje do 'Anarquia Já!'. Nele estamos denunciando a cantina do colégio... blé, esse cemitério de animais inocentes! Tomem aqui um exemplar.

 

 



Mayra e Lis: .......................

Isa: Então, aí na capa mostra as reportagens. Tudo escrito e apurado por mim. A brisa aqui tirou as fotos... né não, fia??


Fiona: ................

 

Lis: Ah......... legal. Então, né, Má.... como eu ia dizendo, vamos ensaiar mais nessas férias, para lançar logo o nosso CD!

Mayra: Sei lá... ando meio desanimada... deprimida, sabe?

Isa: O QUEEEEEEEEEEEEEEE??? DEPRIMIDA????? AH, VAI CAGAR, MAYRA! JÁ SEI, VIROU EMO!! SÓ ME FALTAVA ESSA!!! DAQUI A POUCO VAI CORTAR O CABELO, PINTAR DE PRETO E FAZER UMA FRANJINHA IMBECIL!! QUER UM SOCO NO MEIO DA FUÇA PRA VOLTAR AO NORMAL?




Fiona: Isabella.... CALA A BOCA!!!

Isa: Nuss, Fiona! Uia! Você tá aí! Oi! Quanto tempo! Bom dia! Acordou agora, foi? Volta a dormir e CALA ESSA BOCA, VAI! Ninguém falou com você!

Fiona: Isa....... vai lá... vai...




Isa: “Vai lá”, você! Você é outra preguiçosa! Num fez porr* nenhuma ontem! Só ficou lá, soltando um peido atrás do outro! Tive que sair da sala umas 6 vezes por causa daquelas bombas atômicas saídas do seu traseiro! Sua porca nojenta asquerosa!

Fiona: ............. (bocejo) ...........



Isa: É isso aí! Vou contar pra todo mundo, vou pôr no meu jornal! Hahahahahaha! Minha cara, você está tãããããão ferrada!!
 


"Enquanto as duas brigavam no meio da rua, eu e a Lis paramos em frente ao portão do colégio."

 



Lis: Mayra, quer falar sobre isso?

Mayra: Talvez depois, Lis. Não se preocupe...

Lis: Hum... tudo bem, então. Pode me falar tudo, viu?

Mayra: Eu sei. Obrigada, amiga!

 

 

“A Elis – sim, seu nome é Elis Regina! - é minha melhor amiga. Lis, para os íntimos.

Estudamos juntas desde a pré-escola. Talvez ela conheça-me mais do que eu mesma, ela sempre sabe o que estou pensando, sabe o que é melhor para mim. Sempre fomos muito unidas, inclusive na detenção, quando aprontávamos um pouco além da conta. “Mayra e Lis, a dupla perfeita, confusão na certa”, diziam por aí. Era tipo o nosso slogan. Agora, sossegamos.

 

No ginásio, conhecemos a Isa e a Fiona, que também são amigas de infância, daquelas que brincam na rua juntas. Aliás, a Isa sempre foi irritadinha, desde pequena! Na sala, sempre diziam que ela sofria de TPM crônica! A gente zoa com ela até hoje, quando ela enche muito o nosso saco. Ela fica puta da vida! Aliás, foi a Isa quem deu o apelido de Super Lis para a Elis... mas o motivo só ela sabe (não conta pra ninguém, mas, a Lis odeia ser chamada pelo seu nome verdadeiro, Elis Regina Sócrates, hahahaha!). A Isa é albina, e faz questão de pregar que característica física não molda o caráter de ninguém. Ela é a típica revolucionária, está sempre em protesto, é a editora de um jornal paralelo no colégio e não tem papas na língua. Já a Fiona... bem, essa está sempre brisando, parece que fumou uns baseados! Está sempre com sono, boiando nas conversas, quase nunca fala, costumam chamá-la de "Fiona Caladona"... mas é uma pessoa muito, muito boa. Ela já até roncou numa chatíssima aula de Química. Foi comédia ao cubo elevado a sétima potência, pois a Isa chamou isso de “um verdadeiro ato de rebeldia”, se levantou e bateu palmas. São duas doidas... e, apesar das briguinhas bobas, são muito amigas”

 

 

 

 

 

"Cansamos de ficar em pé. Eu e a Lis sentamos nos degraus da escada que levava para as salas, onde costumávamos ficar todos os dias. Coloquei meu caderno no meu colo, e fiquei lá, aguardando alguns minutos que restavam para o sinal tocar."




Super Lis: Cara... sinceramente, acho que vou sentir falta disso aqui, sabe?

Mayra: Disso o que?

Super Lis: Disso. De sentar na escada. Conversar com você.

Mayra: ... Ver a Isa brigando com a Fiona no meio da rua...

Super Lis: Hahahaha, podes crer, isso também.

Mayra: Zoar o povo idiota do colégio...


Super Lis: É, é... e ficarmos juntas o tempo inteiro.

Mayra: Ah, mas quanto a isso, você pode ficar tranqüila. Eu vou continuar sendo sua amiga para sempre... eu é que deveria me preocupar, já que eu vou morrer solteirona e ser a tiazona gorda sem filhos e sem marido.
 




Super Lis: Ahhhh, Mayra... fala sério! Que coisa horrível de se dizer! Você se menospreza muito, não é assim...

Mayra: "Não é assim" porque não foi pra você que disseram que...

Super Lis: Ai, não começa, Mayra! Já disse pra você esquecer isso! Apague isso da sua vida! O cara é um idiota, um imbecil, um babaca superficial, um trouxa, um lixo humano que não se enxerga. Você sabe, eu vivo te dizendo, o amor está em qualquer lugar... onde você menos esperar, quando mais precisar! Esse aí, obviamente, não era pra ser o amor da sua vida.
 


"Sabe de uma coisa? Eu sei que a Lis está 100% certa, mas eu não consigo me livrar dessa dor que me corrói cada dia mais. Depois daquele episódio, não consigo me convencer que exista alguém por aí, me esperando para fazer-me feliz. Alguém que não vá me achar gorda, feia e ridícula... como todos sempre acharam. Duvido que exista alguém que vá me respeitar, me amar, ter olhos só para mim e fazer o impossível para ter-me aos braços. Isso é um sonho que tenho todas as noites!

 

Ninguém sabe o que é ser rejeitada de forma tão cruel por alguém que se gosta tanto, por isso todo mundo acha que minha depressão é "frescura de adolescente". Devem achar que eu gosto de ficar triste 24 horas por dia desde os meus 14 anos, que eu sinto prazer em me cortar com uma gilete e ver-me sangrar até (tentar) morrer... e ser levada para o hospital e ser internada na ala psiquiátrica. Nossa, isso é tão legal, vocês deveriam experimentar. BAH!"

 

 

"Antes que eu pudesse responder isso à Lis, o sinal tocou. Fomos até nossos armários pegar o resto do material, até que apareceram as duas garotas mais populares e chatas do colégio: Talita e Jéssica."

 

 

 

 

"Elas estavam na nossa frente distribuindo seus panfletos de festas idiotas regadas a beijo na boca de desconhecidos e muita bebida alcóolica. E olha que elas são menores..."





Talita: Pessoal! Eu e a Jessiquinha linda aqui vamos fazer uma festa de casais na minha mansão... ou melhor, na minha humilde casa neste fim de semana, antes da formatura!

Jéssica: Vai ser uma festa suuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuper quente!

 

 

 

"Todos os garotos do colégio caem de quatro por elas. Todas as garotas querem ser como elas. Às vezes também penso que gostaria de ser como elas, só para ter o gostinho de receber tanta atenção...."
 

 


Talita: Ei, feiosas! Quero dizer... casal lésbico! Oops, quero dizer... Elis Regina e Mayra Bethânia! HAHAHAHA! Sábado terá uma festa de casais na minha casa. Mas somente casais heterossexuais, ok? Então, arranjem namorados, ou perderão este super evento! HAHAHAHAHAHAHAHA!
 



 


Jéssica: HAHAHAHAHAHA!

Talita: Ah! Mayra! Só uma dica: perca uns 80 kilos e faça uma plástica facial, daí, quem sabe, você consegue arranjar um namorado, né?!? Pensamento positivo!

Lis: Cai fora daqui, suas idiotas!

Jéssica: HAHAHAHAHAHA!!!!
 


"E todo mundo também ri no corredor. Parece que elas apertam um botão, e todos começam a rir automaticamente. Elas têm o mundo aos seus pés!"
 




Lis: Há, há, há... como elas são engraçadas.... preconceituosas idiotas! Deixa só a Isa ficar sabendo disso, sorte delas que ela não estava aqui, ela ia descer o cacete nessas Barbies siliconizadas!



 

"Como já era de se esperar, fiquei com muita raiva delas. Mas, como sempre, ficava acumulada. Era somente mais uma ferida em minha alma. Já eram tantas, não fazia diferença brotar mais uma. As meninas me confortaram com frases de apoio, mas mesmo assim eu estava prestes a sofrer um ataque de nervos! E pela primeira vez pensei:

"Que inveja sinto da Talita, da Jéssica e de todos as pessoas magras e bonitas que namoram no mundo..."

 

 

 

Não perca o próximo capítulo de Déjà Vu! \o/

*Todos os direitos reservados à Roberta Ayres Torres (Silly Girl) e Igor Akio Matsuoka - 2005/2006/2007/2008*